Lista – “E quem precisa de alta definição?”

Falando sério, ficam reclamando que o Wii não tem jogo hardcore, que os consoles HD’s são infinitamente melhores e que os jogos de Wii são infantis. Senhoras e senhores, apresento-lhes os jogos de Wii que compensam qualquer jogo em qualquer console HD do Wii, sendo escolhidos apenas jogos Third Parties (à aqueles que dizem que só a Nintendo dá suporte ao console). Nem foi tão difícil, seria mais difícil fazer uma lista do X360 e do PS3 na condição de proibirem jogos de tiro nela. Vamos lá então, para provar que ninguém precisa, de fato, de um videogame de alta definição para que um jogo preste.

1. Muramasa: The Demon Blade: Um jogo relativamente simples e não tão espalhafatoso como vários jogos. Muramasa é a execução perfeita de um Hack&Slash num jogo 2D. Modo composto só de modo Story, é um jogo consistente e são praticamente dois jogos em um (são dois personagens para escolher e fazer seu próprio story) e uma variedade gigantesca de katanas possíveis para se usar no Japão Feudal, onde se passa o jogo. Sem falar que é um jogo abrangente. Agrada desde os “casuais” (argh, como odeio essa classificação) até os hardcore, graças à dificuldade selecionável.

2. Fragile Dreams: Explora o drama humano e utiliza de questões filosóficas e o efeito psicológico de temáticas como morte, solidão, felicidade e amizade de diferentes modos em que essas questões atingem as pessoas. Se passa num Japão pós-apocalíptico, onde o personagem Seto sai em busca do único ser humano que havia encontrado: uma garota de cabelos prateados. Não é um daqueles jogos onde explosões ocorrem de cinco em cinco minutos, não tem sangue jorrando na tela até sair da televisão ou qualquer coisa considerada “violenta”. Apesar disso, não é um jogo “feliz” como os Mario ou Sonic da vida, que conseguem ser limpos, coloridos e felizes. Fragile Dreams extrai a nata do drama humano em seu enredo e é ele que toma a maior parte da culpa deste jogo ter ficado tão magnífico. (Trechos retirados da Nostalzine Club #22)

3. No More Heroes: Suda 51, o criador do jogo é simplesmente um gênio. Um Nerd que compra um Sabre de Luz num leilão virtual e se transforma num assassino. Visando ser o melhor, sai num “Battle Royale” para chegar à primeira colocação no Ranking. Simples, prático e ao mesmo tempo, genioso. Parece até um filme do Quentin Tarantino. Esse jogo inclusive causou invejinha nos Sonystas e Caixistas, o que resultou numa versão do jogo para os outros consoles. Mas o Desperate Struggle é do Wii e ninguém tasca.

4. Madworld: Parente distante do No More Heroes, Madworld é mais violento que qualquer GTA, mas indubitavelmente superior. Madworld narra sobre um gás espalhado pela cidade e que matará todas as pessoas que lá estiverem. A vacina só será concedida a aqueles que matarem alguém. Essa onda de assassinato pela cidade (que foi fechada para evitar quaisquer tentativas de fuga) acaba gerando um rank. Jack é um agente que está no tal Ranking para ver se acaba com esse Reality Show insano.

5. Red Steel 2: O primeiro foi uma bela porcaria, destas que prometem e não cumprem bulhufas. O Segundo é praticamente outro jogo. Imagine um cowboy com uma Katana, onde num faroeste steampunk você tem que lutar pela honra dos clãs numa saga mais que enrolada e que usa um estilo de arte similar ao shooter Borderlands, do X360 e PS3. O simples fato de transmitir a sensação real de estar manejando uma espada já faz o jogo valer. E essa sensação é a das melhores e fictícias: sinta-se o samurai estiloso.

6. Sonic Colors: Enquanto os consoles HD’s regozijavam-se antes do lançamento de Sonic 4 e acabou recebendo um Sonic mais lento que uma carroça puxada à asno, Sonic Colors simplesmente corresponde ao hype que foi colocado em cima de Sonic 4. É simplesmente fantástico.

 

 

7. Tatsunoko Vs. Capcom: MvC3 foi um montinho de bosta tropical cagada por um mico leão da bunda dourada, convenhamos. Jogabilidade truncada, menus caóticos e telas idem, sem falar das péssimas escolhas de personagens. TvC é o melhor jogo moderno da série “vs.”, mas só a versão japonesa. A americana é truncada igual a MvC3. TvC tem um sistema de combate frenético e você consegue entender o que acontece na tela. Ao contrário de MvC3 que parece um desfile de carnaval.

8. Final Fantasy Crystal Chronicles – The Crystal Bearers: É um jogo simples, rápido (dura umas quinze horas) e tem um enredo melhor que o FF13, por exemplo.

 

 

 

9. Monster Hunter Tri: Nem gostei do jogo. Mas é uma delícia falar “chupa, olha só o que nós temos” para os “Somos-Sonystas-e-temos-os-melhores-hardcores”.

 

 

 

10. Just Dance: É melhor que o Guitar Rirou. Pelo menos, ensina algo de verdade.

 

 

 

 

Menções Especiais:

  • Epic Mickey: Queria enfiar Epic Mickey aí, mas não joguei ainda para dizer se é válido ou não colocá-lo.
  • Resident Evil: The Umbrella Chronicles: Puta shooter foda, funcionou direitinho no sensor do Wii e realmente adiciona a série.
  • Resident Evil: The Darkside Chronicles: O mesmo do de cima, mas sem adicionar algo que preste ou faça a diferença na série. O que tem de novo é só fanbase.
  • Naruto: Clash of Ninja Revolution 2: Não figurou na lista porque Ultimate Ninja Storm é melhor e não tem no Wii e porque eu não gosto de Naruto. Mas até eu admito que não é dos piores jogos.
  • NiGHTS: Journey of the Dreams: É engraçado que a Sega seja tão fiel à Nintendo, a julgar pela forte concorrência de ambas na década de 90. NiGHTS é a sequência de um clássico do Saturn (sendo esse não tão bom). A continuação é boa em si, mas o controle é um belo montinho de porcaria. Só funciona com o Classic.
  • Sin&Punishment 2: Quem me dera fosse Third Party para aparecer na lista principal… Quem me dera…
  • Little King Story: Seria a décima primeira posição da lista principal, se fosse algo mais que um top 10. É bastante meigo e criativo. Pena que não deram mais atenção à série depois de seu lançamento. Aproveitando que Harvest Moon anda uma bela porcaria em suas últimas versões, esse aí seria um ótimo substituto.
  • Sonic & The Secret Rings: Dois Sonics na lista principal era forçar a barra.
  • Sonic & The Black Knight: Imagine três, então.

  • P.S.: Nunca mais faço uma lista nesse formato, puta merda, que negócio trabalhoso para um post menor.
    P.S. 2: Quem ler, por favor, comente. Estimula o autor a escrever mais e mais merda.
    P.S. 3: Revisão meio nas coxas, capaz de ter uns erros aí de digitação.

    Anúncios

6 respostas para “Lista – “E quem precisa de alta definição?”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: