Playstation 4: I seriously hope you guys don’t do this

Sinceramente. Não sei como aguentei ficar acordado por duas horas durante a palestra da Sony. Aquilo foi simplesmente horroroso. E o pior. Sony nunca deixou tão claro que está em maus lençóis, seja só nos videogames, seja de um modo geral. Para começar a soltar o verbo, quatro pontos precisam ser usados como peça chave de argumento: Contexto econômico, Público-Alvo, Publicidade e Custo de Produção.

Vamos primeiro colocar o contexto da Sony. Ela não vem bem no mercado, seja de videogame, seja a empresa como um todo, como já foi colocado anteriormente. Uma simples análise do mercado de ações é necessária para tornar perceptível a queda silenciosa da Sony, com marcas como a Samsung tomando seu mercado. Assim, assume-se que não é apenas uma questão de “videogame” que deixa a empresa com o cu na mão, embora também seja um dos fatores. O Playstation 3 foi a falha mais gritante, tratando-se de console de mesa e levando em consideração o estrago feito pelo PS1 e PS2. Em números brutos, inegável que o Vita é um console que morreu antes mesmo de ser lançado direito, mas o PSP, seu antecessor, não tinha mercado direito já. O PS3 teve uma discrepância muito absurda se comparado com seus antecessores.

Falando em números gerais agora. O valor da Sony hoje é um décimo do que era há dez anos. Segundo um artigo da Folha publicado em 2006, o valor médio da empresa em 2000 chegava a um pico de R$ 107 Bilhões a , em 2012 se encontra na casa dos R$ 14 Bilhões, de acordo com a notícia do site de economia Guru Focus e pelo Wikinvest.  Do outro lado, encontramos a Samsung, cujo valor em 2012 estava na casa dos 200 bilhões.

No ramo dos videogames em si a Sony perdeu muito de seu mercado. Após destruir a principal concorrente, a Nintendo, em duas gerações, o Playstation 3 foi um fracasso. O principal fator talvez seja a ausência de jogos, apontada pelos jogadores quase sempre. Isto ocorre porque o PS3 possui um sistema de desenvolver diferente do Wii e do X360. Desenvolver para o PS3 é caro. Compensava mais fazê-lo para X360 e depois apenas portá-lo. Assim, o Playstation 3 foi, em comparação, o console que menos vendeu, uma vez que o X360 tem números de venda similares ao do PS3 focando-se apenas no mercado norte-americano, enquanto o console da Sony abrangia a Ásia e a Europa. Esta foi apenas uma breve introdução sobre a empresa que servirão como justificativa para comprovar o futuro fracasso de um console sequer lançado ainda.

Na última quarta-feira (20), a Sony apresentou ao mundo o Playstation 4. Ou melhor, apenas seu controle, o que causou extremo desapontamento – ou não, era até previsível devido aos últimos os fracassos sequenciais da Sony – principalmente à imprensa especializada, que sempre demonstrou sua preferência a console da empresa japonesa. O novo controle era mais uma versão do chamado Dualshock. Desta vez, com um touchpad embutido e um botão “share” que, a meu ver, é motivo de piada.

Aí está o primeiro erro. São gerações reclamando do controle. Sobre como o posicionamento do analógico é horroroso. Ele estraga a articulação do dedão daqueles que o jogam. Não é anatômico ou sequer confortável, como é o controle do X360. Pode parecer frescura, mas uma empresa não pode fabricar um produto que cause danos ao seu consumidor. Seria a mesma coisa caso uma empresa fabricasse uma geladeira que estragasse a comida. Ou uma televisão que acabasse com os olhos de quem a assiste. Ou um colchão que entorta a coluna. Os exemplos de comparação são vários. A verdade é que um controle tem que ser confortável e ponto. Tem também que proporcionar estabilidade. O Dualshock é conhecido por ser tão leve quanto uma pena.

Só que a Sony insiste em continuar com o seu design. Ainda por cima, faz o consumidor de otário. Ela coloca um controle desses à venda e o otário compra um controle novinho, em vez de simplesmente transformar o touchpad em um periférico que seja acoplado ao Dualshock 3. O mesmo aconteceu quando o Wii Motion Plus foi apresentado ao Wii Remote, só que, em vez de simplesmente obrigar todos a comprarem um novo Wii Remote, ela colocou tanto um Wii Remote com o aparelho embutido quanto o periférico separado para os consumidores antigos.

Em seguida, foram apresentados alguns gameplays. É inacreditável como a Sony continua batendo na mesma tecla. Ela continua pensando que o hardware faz o console. Eu até entendo que ficar inovando toda vez é um saco. Só que a maneira como ela aborda o consumidor é totalmente errada. Isso não influi numa jogatina. Gráficos realistas são iguais a cinema 3D. É só um bônus. O jogo deve ser bom por si, não precisar ser maquiado. Igual ao cinema 3D, que é só uma maquiagem para disfarçar a qualidade de um filme que deveria ser bom por si só. Assim como o cinema gerou obras-primas sem precisar do câncer que é 3D, os videogames geraram obras-primas que não precisaram de gráficos. Não é nem uma questão de imersão. As pessoas jogam até hoje a versão antiga de The Legendo of Zelda: Ocarina of Time e se sentem empolgados como se fosse a primeira vez.

É por isso que eu digo. A maior vantagem do Wii era na verdade a sua alegada desvantagem. A capacidade gráfica. Por não possuir uma boa capacidade de reprodução gráfica, as desenvolvedoras optaram por estilos artísticos em seus jogos, como uma alternativa aos HD. Dessa forma, os visuais mais criativos de qualquer jogo dessa geração surgiram nele. Madworld. Fragile Dreams. No More Heroes. Muramasa. Red Steel 2, Kirby Epic Yarn. E a lista continua. Um estilo artístico está sempre acima de qualquer jogo considerado realista. Enquanto o realismo se prende às convenções do mundo real e acaba saindo um visual tosco atrás do outro (realismo é filme igual à Avatar, quando você realmente acredita que aquilo é real, nunca nenhum jogo chegou a este ponto). Já um artístico pode ser perfeito como é, porque não se apega às convenções do mundo real. Olhe o próprio Zelda. Twilight na época mesmo era gráfico de ponta e ainda assim gerou alguma controvérsia. Skyward Sword é desenho e foi bem recebido em seu lançamento.

Outro problema é em volta desse contexto de hardware potente. Da do PS2/GC/Xbox para a do PS3/Wii/X360 houve um salto gigantesco na capacidade do console (com exceção do Wii). Graças a isso, a tecnologia para fazer algo mais potente hoje é cara para produção em massa. Assim, existem duas opções para a Sony, caso os rumores de “GPU será equivalente à Radeon HD 7970 GPU” (via Kotaku). A primeira é que eles irão vender o console a um preço mais barato do que seu custo de produção, o que, seja para padrões de mercado, seja para a própria Sony cuja situação está uma bosta, é totalmente inviável. A segunda é colocar o preço do console nas alturas, o que, julgando por este rumor, seria por volta dos 700 Obamas. Isso cria um pequeno problema. Levando em consideração que aquele que compra o PS é justamente aquele que quer gráficos poderosos, sai mais em conta comprar um computador mais potente. O console é uma alternativa mais barata a um computador, pois é como se fosse um computador específico para jogar com determinada configuração, praticamente. Para sair mais em conta.

Eu pessoalmente odeio jogar pelo PC, mas, se eu comprasse console pela capacidade gráfica, e o PS4 viesse com uma dessa, seria mais coerente comprar pelo PC, pois em alguns anos, o PS4 estaria com capacidade defasada e não poderia ter um upgrade, ao contrário do PC.

O mais foda talvez seja que a Sony pense nesse único nicho de consumidores. Isso não existe. Precisam lucrar. A empresa tem um único público alvo. Não pensa no mercado e como se expandir nele. Jogar videogame hoje é algo familiar, querendo ou não. A Sony não pensa que para uma idosa que assiste seu neto obeso de 12 anos com as mãos imundas de Doritos, ver a sanguinolenta forçada de God of War é chato. É um absurdo. Isso acontece porque o departamento criativo dela é retardado. Fãs da Sony gostam de GoW, mas não chama novos fãs que não gostam desse tipo de estilo de jogo. Os fãs de GoW são esses e acabou. A divulgação de seus produtos é podre.

A Sony não tem um estilo “inovador” de jogar, como é o Wii e X360. Deveria então se segurar nas pontas com franquias decentes. Falta algo que realmente seja popular. Os personagens são todos maneiros, dudebro e forçados. Nada algo que realmente seja interessante. Divertido, até é. Mas usa fórmulas batidas para o sucesso. Até o Sonic tem mais carisma e renome que os personagens da Sony. A única aposta que resta à empresa é essa. Falta algo colorido, mais amigável do que a já citada bobeira sanguinolenta e dark de God of War. Até a M$ tem Fable. A própria publicidade da Sony é horrorosa.

Ela deveria apostar em jogos com conceitos realmente interessantes e que sirvam para um público mais abrangente. A Nintendo só não ficou pior com o GC porque soube administrar bem as próprias franquias. A Sony deveria fazer o mesmo. A única coisa próxima disso e que me vem à mente imediatamente é Little Big Planet. Pode até ter outras, mas ou são ofuscadas pelos Góde ófe Uór que tomam toda a atenção da Sony ou não conseguiram fazer algum sucesso com as próprias capacidades. Falta algum ícone familiar como o próprio Mario ou algo viciante pra porra à Pokémon. Videogame hoje não se limita somente a “Árdencore”. Ser totalmente casual é um erro, mas ser totalmente “árdencore” também.

Queria colocar também que eu nunca falei que “precisa de inovação”. Eu nunca diria isso, uma vez que sou um game purista que prefere offline a online e controle de verdade, nada de balançar uma representação de falo ou ainda a inexistência dos mesmos. Eu disse que a Sony precisa só de mudança de atitude.

Com isso, encerro aqui afirmando que a Sony cavou sua própria cova. Aposto uma grana que o Playstation 4 irá ser o último console da empresa, que ruma no mesmo caminho que a Sega trilhou. Vimos que a Sony não pode se fazer tanto de retardada como se faz, por causa de seu contexto econômico. Vimos que justamente devido ao seu contexto econômico, não pode se dar ao luxo cometer o mesmo erro do passado com relação ao hardware, por causa do elevado custo de produção. Vimos que outro erro do passado é não expandir o mercado, por culpa da sua publicidade retardada em se focar justamente no Hardware. E vimos que os únicos otários que caem nessa publicidade é sempre o mesmo público-alvo, pois ela não quer expandir o mercado, focando-se apenas em um nicho de fãs, algo que ela não pode se arriscar, devido ao seu contexto econômico. Um motivo justifica o outro.

E enquanto eu assistia à conferência, eu não esperava anúncio novo de jogabilidade da Sony ou qualquer novidade. Todas as minhas previsões se concretizaram. Só esperei o anúncio oficial para começar a soltar o verbo. E mesmo a imprensa que sempre mostrou predileção à Sony condenou tanto a apresentação sem graça quanto o próprio controle, cuja maior polêmica é um simples botão “share”. Bom, é isso o que acontece quando o departamento criativo pensa por si próprio. E o mais engraçado é que eles ganham para isso.

Citando um colega, “você sabe que o mercado de videogames hoje está uma merda quando a apresentação mais interessante de uma conferência é da Ubisoft”. Até Nintendo Direct acabam sendo mais interessantes do que a apresentação da Sony. A melhor conclusão que se tira disso tudo é que com o PS4 aí, o PS3 vai dropar o preço e finalmente poderei jogar JoJo, que é o jogo que vale. E eu nem falei da falta de retrocompatibilidade com o PS3. Sony genial. De SEMJOGOS pra SEMCONSOLE. Puxa, a Sony está realmente um patamar acima com seu novo anúncio.

Minha cara estava igual: Bem humorada, acordada e interessada enquanto assistia à conferência.

Anúncios

5 respostas para “Playstation 4: I seriously hope you guys don’t do this

  • Importer Exporter

    Deviam chamar o Art Vandelay pra presidente da SCEA

  • Ken-Oh

    Por isso não assisto essas conferencias, porque são um porre.

    Bem realmente não vi a conferencia e só peguei o apanhado que vi em vários site. Realmente essa conferencia da Sony foi nada alem de dizer: “Olha estamos fazendo o PS4 e ele tem isso e aquilo, mas calma ae que ainda não ta pronto.”. Foi simplesmente pra fazer pose, ate que algumas coisas me animaram um pouco, mas não foi aquele negocio pra ficar admirado.

    Tenho o Ps3 atualmente, mas nunca fui fanboy da Sony sempre soube suas limitações e o direcionamento de seu produtos na verdade só comprei o mesmo por que era algo que estava acostumado, realmente em momentos falta aquele negocio mas clássico e nostálgico como o Mario, mas e algo que não me afeta tanto.

    Sobre o Dual Shock realmente nunca entendi muito bem essa parada de todo mundo reclamar do controle, eu jogo com ele por anos e nunca tive problemas com o mesmo,nuca machucou minha mão, nunca escorregou da mesma e sempre me senti confortável jogando com ele, nada contra o controle do Xbox, mas não acho o Dual shock ruim.

    Sobre a situação atual da Sony, como você mesmo apontou o grande problema foi lançar um console da ultima geração atrasado e com um preço exorbitante que nem mesmo quem mora lá fora (onde teoricamente teria um preço acessível) podia comprar, o difícil desenvolvimento dos jogos por conta do processador e simples fato de que na pratica ele não era algo muito diferente do Xbox 360 que já tinha saído antes.

    Agora eles vão tentar conserta essa cagada com essa manobra suicida lançar o console em preço acessível, antes do Microsoft. O único problema é que vai acabar saindo um console cheio de Bugs em que vai ter que ser consertados pelo caminho e onde só valera a pena comprar depois de 1 ou 2 anos depois seu lançamento onde a cagada vai estar totalmente limpa.

    Realmente também vejo um futuro negro pra sony,mas ainda vejo a chance de recuperação com esse console, se souberem aproveitar direito o que eles apresentaram e de algum modo torna aquilo que você mesmo achou bobo em algo interessante ela pode ir pra frente de novo, só que tem um grande problema ela ainda insiste em pegar a fatia de consoles portáteis e isso já foi provado 2 vezes que é inútil e realmente é algo que acho que ela deveria deixar de lado, mas sabemos que não vai acontecer e pra mim esse vai ser o ponto fundamental que vai definir se a Sony afunda ou aguenta mais um geração.

  • Rabelo

    Puxa gostei muito de seus textos , criativo , refutador e tragadas acidas de realidade , muito bacana . Continue com o bom trabalho

  • Red-O

    Concordo totalmente. Agora, chegamos a um impasse: Espero o preço do PS3 cair pra curtir JoJo e Saint Seiya Senki ou espero o preço do 360 cair(sendo que não deve tardar o anúncio da digievolução do mesmo) e vou curtir meu bom e velho HALO? E pelamordedio, em termos de Jogabilidade, Xbox owna Fácil. Vamos aguardar, vamos aguardar…

  • E32013: Domination | Horny Pony

    […] os seus Xbox One e Playstation 4. Ambas as apresentações dos consoles foram patéticas. A Sony apresentou alguns jogos que não impressionaram em nenhum momento e revelaram que irão insis…, fazendo apenas uns upgrades. A da Microsoft foi pior. Sua apresentação se resume em 4 […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: