Arquivo da categoria: Artigo

E3 2017: Mas eu nem mesmo gosto de videogames


O texto a seguir é uma parede de texto sem revisão e sem imagem alguma simplesmente porque eu não estou com paciência para isso.

Sabe, eu não entendo. Eu vejo todo mundo comemorando, vibrando e surtando por anúncios e eu estou completamente indiferente a eles. Aliás, acho que nunca fui tão indiferente em relação a uma E3 como eu fui com essa, a começar com a conferência da EA, que eu literalmente não pude assistir e nem sequer me lamentei que iria perdê-la. Continue lendo


Iluminismo ou Barbárie: A Crise de Storytelling na indústria de videogames moderna

O Filme de Assassin’s Creed é, tranquilamente, a adaptação mais fiel com relação a transpassar a atmosfera da obra original para dentro de um filme.

Só que isso não é necessariamente algo bom. Continue lendo


Precisamos falar (de novo) sobre a Marvel

marlel

Antes de tudo, quero deixar claro que isso não é um review. Dito isso, começo colocando que nesse domingo fui ver o Doutor Estranho no cinema. Eu já fui com expectativa baixa, dado padrão repetitivo e bobo dos filmes da Marvel, embora no fundo eu torcesse pelo sucesso por causa do Cumberbatch e da Tilda Swinton, que são fodas para caralho. Continue lendo


O post anual sobre a E3 para cumprir tabela

POSTANUALE3

O que você vai ler a seguir são registros reais de conversas que aconteceram durante as apresentações da E3 2016 e postados aqui com autorização do interlocutor.

Continue lendo


Um Manifesto Pelo Cinema Mudo

Acredite se quiser, texto postado originalmente no Facebook. Mexi em uma coisa ou outra só para se adaptar ao blog.  

Quando eu era molequinho, aprendi que não se fazia absolutamente nenhum barulho em cinema. Ser o mais quieto possível. Lembro quando eu fui ao cinema pela primeira vez na vida, ver Tarzan. Eu tinha segurado a minha ida ao banheiro ao extremo porque eu não queria fazer barulho para ir ao toalete. Quando eu fui crescendo, também fui ficando meio retardado e esqueci isso. Continue lendo