Sua dose diária de Dragon Ball

DragonBall

Eu ando numa vibe meio Dragon Ball. Por conta do Dragon Ball Super passando no CN e o FighterZ (que, na real, nem acho que vai ser tão bom assim quanto estão pensando), acabei pegando um tempinho para reler o mangá que tenho guardadinho aqui em casa com o maior cuidado. Continuar lendo “Sua dose diária de Dragon Ball”

E3 2017: Mas eu nem mesmo gosto de videogames


O texto a seguir é uma parede de texto sem revisão e sem imagem alguma simplesmente porque eu não estou com paciência para isso.

Sabe, eu não entendo. Eu vejo todo mundo comemorando, vibrando e surtando por anúncios e eu estou completamente indiferente a eles. Aliás, acho que nunca fui tão indiferente em relação a uma E3 como eu fui com essa, a começar com a conferência da EA, que eu literalmente não pude assistir e nem sequer me lamentei que iria perdê-la. Continuar lendo “E3 2017: Mas eu nem mesmo gosto de videogames”

Precisamos falar (de novo) sobre a Marvel

marlel

Antes de tudo, quero deixar claro que isso não é um review. Dito isso, começo colocando que nesse domingo fui ver o Doutor Estranho no cinema. Eu já fui com expectativa baixa, dado padrão repetitivo e bobo dos filmes da Marvel, embora no fundo eu torcesse pelo sucesso por causa do Cumberbatch e da Tilda Swinton, que são fodas para caralho. Continuar lendo “Precisamos falar (de novo) sobre a Marvel”

“Obituário” ou “Meus pensamentos a respeito do fim da Alliance”

fimdaalliance

Hoje, 03/07, escrevo este texto. Eu já havia ponderado a respeito do assunto algumas vezes, mas agora acredito que não tem mais volta. Fechei a Alliance para valer. O post de anúncio diz respeito ao portal. O que está aqui, diz respeito somente a mim, opiniões particulares. Um não tem nada a ver com outro, encare-os de forma separada. Continuar lendo ““Obituário” ou “Meus pensamentos a respeito do fim da Alliance””

Cinco anos de ereção prolongada

Aqui você vai encontrar um texto que no word rendeu um pouco mais de quatro páginas e não vai ter absolutamente nenhuma imagem para ilustrar a leitura e fazer parecer menor do que é. Esteja avisado.

Hoje, dia 4, é o quinto aniversário do Horny Pony. Quando abri o blog em 2011, nunca imaginei que ia ter saco para continuá-lo. A ideia foi de um blog antigo de um colega meu na época, o Mizuiro, que era dono do Pizza Time. Aí eu gostei do estilo que ele tinha e quis fazer algo também. Válido ressaltar que eu estava meio órfão de espaço para escrever porque a Nostalzine Club tinha se encerrado com 25 edições (algo que, pessoalmente, considero marcante). Desde então, escrevi coisas boas e besteiras. Coisas que estão ocultadas por vergonha. Coisas que hoje fogem totalmente do padrão do blog por terem uma ênfase meio pessoal, algo que eu praticamente aboli daqui – digo, vida particular, não opiniões pessoais. Acho que muitos dos que eu considero meus melhores textos, modéstia à parte, estão aqui, em algum lugar. Continuar lendo “Cinco anos de ereção prolongada”

Um Manifesto Pelo Cinema Mudo

Acredite se quiser, texto postado originalmente no Facebook. Mexi em uma coisa ou outra só para se adaptar ao blog.  

Quando eu era molequinho, aprendi que não se fazia absolutamente nenhum barulho em cinema. Ser o mais quieto possível. Lembro quando eu fui ao cinema pela primeira vez na vida, ver Tarzan. Eu tinha segurado a minha ida ao banheiro ao extremo porque eu não queria fazer barulho para ir ao toalete. Quando eu fui crescendo, também fui ficando meio retardado e esqueci isso. Continuar lendo “Um Manifesto Pelo Cinema Mudo”

Star Wars: O Despertar da Foice (E do Martelo)

Para nota: Esse texto foi escrito em sua maior parte no dia 13/12/2014 e concluído apenas recentemente.

Apesar de sempre trabalhar aqui com textos de cunho especificamente culturais, como as análises de animes, videogames e derivados, eu sempre tive uma inclinação muito forte à política. Não política no sentido de ser um parlamentar ou militar por algum dos lados (eu geralmente deixo esse tipo de discussão e atitude para quem NÃO entende de política), mas por gostar de analisar o tema como um observador mais quieto mesmo. Ver a política como uma ciência, observar todos os pontos de vista, em vez de abraçar um estilo de vida coxa ou petralha. Continuar lendo “Star Wars: O Despertar da Foice (E do Martelo)”

Direita-desu: O analfabetismo político da classe nerd


Na imagem, “Eduardo Cunha utiliza jutsu secreto para romper com o governo

Uma observação que fiz há alguns anos e ela cada vez mais se comprova é a de que o nerdy-gueimer-otaco é naturalmente reacionário para caralho. Eu simplesmente não sei como diabos essa relação se dá, mas ela se dá. Uns 70% da minha lista de amigos do Facebook que se enquadre na categoria Otaco ou gueimer é reacionário. De uma forma que chega a ser escrota. Sempre fiz essa observação. O estopim para começar a escrever estes pensamentos que vão se desenrolar foi a notícia de que o governo ESTADUAL de São Paulo vai começar a taxar mídia digital (numa treta tributária com o município), no caso, num exemplo bem mais direto, os joguinhos do Steam. Continuar lendo “Direita-desu: O analfabetismo político da classe nerd”