Arquivo da categoria: Videogame

Iluminismo ou Barbárie: A Crise de Storytelling na indústria de videogames moderna

O Filme de Assassin’s Creed é, tranquilamente, a adaptação mais fiel com relação a transpassar a atmosfera da obra original para dentro de um filme.

Só que isso não é necessariamente algo bom. Continue lendo

Anúncios

Análise: Pokémon Go

Eu estou fazendo isso por causa de uns comentários recentes, de que meu “padrão de qualidade” (nota-se a ironia autoimposta na utilização das aspas) teoricamente teria caído, dadas as minhas últimas análises, como Caça-fantasmas, Star Wars e Batman V Superman. Quero colocar, antes de tudo, que a única nota que hoje eu diminuiria é a do Star Wars. Tendo isso em vista, vamos então trabalhar com algum objeto que certamente vai trazer toda a amargura de volta ao Horny Pony.  Continue lendo


Um review por parágrafo: Xbox 360

Esse foi provavelmente o videogame que mais me deu dor de cabeça na vida. Comprei ele de aniversário, lá para 2009, antes mesmo de existir o modelo slim. Quando fui atrás de preço e os diabos, descobri que tinha que ficar de olho em placa porque uma esquentava (Jasper) e a outra esquentava ainda mais (Falcon). O bichinho é destravado e, por conta disso, tive que mandar o aparelho para o conserto algumas vezes. Uma ou outra por ter dado semi-brick. Outras porque tinha que atualizar o destravamento. Ainda mais vezes por queimar um fusível ou coisa do tipo. Sem falar que até hoje eu tenho dor de cabeça com essas paradas de pilha e o caralho. Só recentemente fui comprar um cabo USB que liga direto no aparelho. Ainda, quando fui escrevendo esse texto, me dei conta de que nem fodendo que o Xbox tem tanto jogo exclusivo assim, ou sequer diversidade. São sempre as mesmas franquias que se repetem algumas vezes até o final e jogos, em grande maioria, genéricos. Se tem um aparelho que me deu amargura, foi o Xbox 360. Se eu for comprar um Next-gen, acho que vou me converter ao PlayStation mesmo.

A ideia do post é a seguinte: Vou pegar título por título que cheguei a jogar e fazer uma resenha rápida de um parágrafo por jogo. É claro que alguns deles eu já fiz uma análise mais completa, aí eu vou botar o link como referência. Para quem tiver interesse, eu consegui montar essa lista usando o Alvanista. É uma dessas redes sociais de gaems que acabei descobrindo e acabei achando bem interessante. E não, eu não tô recebendo pelo merchã, estou compartilhando por ter achado legal mesmo.

Continue lendo


O post anual sobre a E3 para cumprir tabela

POSTANUALE3

O que você vai ler a seguir são registros reais de conversas que aconteceram durante as apresentações da E3 2016 e postados aqui com autorização do interlocutor.

Continue lendo


Análise: The Legend of Zelda – Twilight Princess HD

Eu tenho uma relação muito gozada com esse jogo. Lá pros idos de 2006-2007, eu era fascinado por ele. Lembro também que, por estar acostumado com gráficos de Nintendo 64 (não tive console de mesa na geração do Gamecube), eu e meu irmão ficamos abismados uma vez, em um shopping que tinha uma loja que passava em looping o vídeo de abertura. “Caramba, esse jogo é bonito, né?”, meu irmão comentou para mim na época e, recentemente, enquanto eu jogava a versão HD, ele repetiu, na base da piada. Continue lendo


Um review por parágrafo: Nintendo Wii

Esse post eu tive ideia depois de ver o vídeo do JoJo Rama mostrando a coleção dele. Aí pensei em algo parecido, só que no estilo Horny Pony: em texto e com 400% mais acidez.

Enfim, eu sempre comentei que eu extraí até a nata do meu Wii. Eu cheguei a jogar todo o tipo de merda no console. Isso era fácil porque eu tinha acabado de aprender a baixar os joguinhos e tinha acabado também de dar um upgrade na minha internet (naquela época uma internet de cinco mega era um negócio FODIDO). Atribua essas habilidades a um estudante de ensino médio que tinha absolutamente todas as tardes livres e vai dar um nerdão que ficava as tardes inteiras jogando.

A ideia do post é a seguinte: Vou pegar título por título que cheguei a jogar e fazer uma resenha rápida de um parágrafo por jogo. É claro que alguns deles eu já fiz uma análise mais completa, aí eu vou botar o link como referência. Para quem tiver interesse, eu consegui montar essa lista usando o Alvanista. É uma dessas redes sociais de gaems que acabei descobrindo e acabei achando bem interessante. E não, eu não tô recebendo pelo merchã, estou compartilhando por ter achado legal mesmo.

Continue lendo


Análise: Batman Arkham Asylum

Todas as artworks do jogo são fantásticas. Revê-las mostra o quanto o estilo fez falta nos jogos seguintes.

Comprei o meu Xbox 360 por causa do Batman: Arkham Asylum – junto de Blue Dragon e Street Fighter IV -, mas, curiosamente, só fui jogá-lo pela primeira vez pouco antes do lançamento do Arkham City. Recentemente, como comecei a assistir Gotham (inacreditavelmente boa depois da metade da primeira temporada), acabei ficando com vontade de me meter nos Bátimaverses da vida mais uma vez e peguei o Arkham Asylum que tinha para PC aqui na minha conta Steam.

Continue lendo