PonyExpress – E agora, Nintendo?

Não entendi o motivo de estarem tão pasmos com o fim da atividade da Nintendo no Brasil. Assim como a Sony mentiu ao falar que o Playstation 4 custava quatro mil reais por causa da taxação, a Nintendo alegar a mesma desculpa ao encerrar seus serviços não passa de balela.

O imposto do Brasil já foi extremamente pior. Hoje é muito mais barato comprar videogame do que era há uns 10 anos, quando realmente existia um imposto pesado. A economia atual também não influi atualmente na taxação dos jogos principalmente porque lá pra 2005-2006-2007, quando um jogo custava R$250,00, a inflação estava justamente em seu mínimo. Hoje em dia, você tranquilamente compra jogos com preços que vão desde R$39,90 até lançamentos cujo preço dificilmente ultrapassa os R$200,00. Tem que lembrar ainda que naquela época um real era muito mais caro do que é hoje, então é uma discrepância enorme desde a época, quando o choro por impostos era plausível, de hoje, quando é apenas choro.


Fonte: Banco Central do Brasil: http://www.bcb.gov.br (Histórico das Metas de Inflação) (A inflação em 2014 fechou a 7%, essa aí é a taxa de maio)

O que a Nintendo enfrenta por aqui é um mercado de merda, porque o brasileiro não compra produtos Nintendo pra valer. É difícil encontrar alguns jogos em específico porque a própria Gaming, importadora responsável até então, trazia um número reduzido de cópias para o país que logo se esgotavam (visando evitar o encalhe que acontece com títulos de outras plataformas, como Anarchy Reigns).

Agora, quantos brasileiros de fato têm o Wii U ou 3DS? O primeiro console nem de longe é um sucesso no país e o segundo não chega aos pés do sucesso que o DS comum fez por aqui (muita culpa dos Tablets e iPhones da vida, se quiser saber). O Brasileiro não compra jogo em revendedor oficial. Sem ninguém comprando, pra quê continuar importando oficialmente?

E que a situação tava ruim não é segredo pra ninguém. Não houve um jogo recente sequer que não tenha me causado problemas para adquiri-lo. Fire Emblem Awakening chegou com SEMANAS de atraso por aqui, com vários adiamentos. Coisa de um mês, praticamente. Pokémon Y e X tiveram um lançamento bacana, mas ainda assim, atrasaram praticamente duas semanas. Super Smash Bros. for 3DS foi o pior porque também demorou semanas para chegar e as lojas nem se deram ao trabalho de fazer uma pré-venda decente. O jogo simplesmente chegou sem aviso e com atraso nas revendedoras. Pokémon OmegaRuby e Alpha Sapphire passaram pelo mesmo problema, sem pré-venda (ao contrários dos jogos anteriores, que inclusivem davam alguns brindes, como aquele mapa tosco e sem vergonha em X e Y e uma figure fantástica em Platinum). Ontem fui comprar Bayonetta 2 e o jogo tinha sido deletado do banco de dados da Saraiva.

Então, eu acho muito engraçado quando choram por causa de algum problema da Nintendo. BUBUBU COMOASSIM BUBUBU MUH INFÂNCIA BUBUBU. Se a Nintendo tá numa situação de merda no país, a culpa é sua.
Mas não se preocupem. Como não é comum comprar produtos em revendedoras oficiais por aqui, a presença ou não da Nintendo não fará diferença alguma, já que as lojinhas de bairro que são importadoras próprias continuarão suas atividades normalmente.

Anúncios

7 respostas para “PonyExpress – E agora, Nintendo?

  • fabricioogrande

    Eu fiz um texto parecido no meu blog. Tentei equilibrar a culpa em ambas Nintendo e Brasil, porque, vamos concordar, a lambança foi feita de ambos os lados.

    http://superfogvs.wordpress.com/2015/01/09/o-fim-da-nintendo-no-brasil/

    • Creissonino

      Basicamente. O mercado no Brasil é ruim e a própria Nintendo nem tenta melhorar esse cenário. Pô, até hoje eu tenho que entrar na eShop do Wii U na ilegalidade.

      • fabricioogrande

        Eu só uso eShop pra exclusivamente digital, e mesmo assim eu só tenho dois jogos, fora os recomprados de VC (que custaram menos de 2 dólares, por eu já tê-los no Wii). Eu sempre dou preferência ao físico.

        A pior parte disso tudo é que o número de pessoas profanando asneiras está maior do que o usual, desde haters fazendo a festa à fanboys ficando de Damage Control. Como eu queria que esse acontecimento fosse um estopim para um protesto contra os impostos abusivos do país, mas né, Brasil é Brasil e o povo merece ser tratado como é.

  • AnneKira

    E nada de valor foi perdido.

    A realidade é que pro Brasileiro ainda é mais interessante comprar Playstation e Xbox do que Nintendo. A maioria dos gamers causais que compram jogos e consoles em lugares como as Lojas Americanas são do tipo de gente que preferem jogar Fifa e Call of Duty a Mario ou Super Smash.

    A Nintendo está mais que certa de ir embora do país, afinal além de não estar rolando lucros a maioria dos nintendistas brasileiros prefere exportar jogos pela internet.

    E enfim, eu acho o 3DS uma bosta desnecessária que só serve para dar dor de cabeça e cegueira. Desculpa para quem gosta, mas ainda prefiro o DS convencional.

    • Creissonino

      O problema do 3DS é justamente o principal dele, o 3D. Tirando isso, é um excelente aparelho.

      Mas é basicamente isso. Eu lembro de uma época em que saía lista de jogos mais vendidos no Brasil. FIFA era SEMPRE o mais vendido, durante o ano todo. Não é um mercado ávido a lançamentos, movimentado. Os jogadores não acompanham os novos títulos. De quê adianta, então, fazer esforço?

      O grande problema com relação a Mario é que as pessoas são travadas. Hoje em dia tem um sentimento de choro nostálgico maior do que paixão pela franquia mesmo. As pessoas ficam chorando “mumuh infância” como se fizesse muito tempo desde então, ou como se Mario e Pokémon tivessem acabado ou sei lá, sendo que quem abandonou foram os próprios caras que choram.

      • AnneKira

        3DS sem o 3D é básicamente o DS comum xD Por isso que digo que é ruim a ideia principal do console. O que muda é o suporte de gráficos e o lançamento de bons títulos, mas não nego que é um bom aparelho. Ao contrário da Sony com o Vita ele tem retro compatibilidade com os jogos do DS, coisa que fez a Nintendo me ganhar, já que a Sony e a Microsoft querem ficar lançando novos consoles o tempo todo sem retro compatibilidade e novidade nenhuma para catar grana.

        E concordo com isso, o pessoal fica muito naquela de nostalgia e acabou abandonando os jogos mais recentes da série. O brasileiro pensa que a Nintendo morreu na era dos sprites e dos 16 bits, isso é uma lenda que a empresa precisava derrubar no Brasil para conseguir aumentar as vendas. Mas com o descaço deu para perceber que eles não ligavam pro mercado daqui, então o público consumir daqui vai continuar se resumindo aos eternos fãs nintendistas mesmo.

  • Direita-desu: O analfabetismo político da classe nerd | Horny Pony

    […] não vai fazer com que ele mude de opinião. Lembra-se da campanha Jogo Justo? Imbecil também, porque já comentei aqui que o preço do jogo no Brasil é muito menor se comparado ao de dez anos a…. Não é uma questão de imposto. Tem a ver com valorização do salário mínimo que, por sua vez, […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: