Goodnight, Sweet Prince

2016 realmente não para. Primeiro foi o Bowie. Agora, Prince. Eu sinceramente não sei qual baque foi pior. O Bowie já estava velho (e nem era tanto assim), mas ter lançado um disco dois dias antes e ainda ter escondido a doença por um ano e meio foi algo que pesou. O Prince, já, foi simplesmente do nada. Eu tinha visto que ele tinha ficado com gripe a ponto de se internar no hospital, mas a gente sempre esquece que gripe também mata.Assim como foi com o Bowie, eu não sei o que dizer aqui. Só estou fazendo o post para não deixar passar batido. Não dá nem para brincar com os versos das músicas dele, fazendo trocadilhos ao longo do texto, como fiz com o Bowie, porque as músicas dele são de um teor bem mais pesado – leia-se sacanagis — e muito pouco inspiradoras.

Como eu disse no último post, de aniversário do Blog, Horny Pony é uma música do Prince que estava ouvindo no exato momento em que o criava. É uma música que dá certo trabalho para achar e baixar porque ela não estava em um álbum original, mas sim no ‘lado b’ de Get Off, que tem provavelmente um dos melhores clipes da história. Ou ao menos, da década de 90.

Comecei a ouvir Prince lá nos idos de 2008, quando eu comecei a me interessar não só pela música, mas por todo contexto que cercava o artista em questão. Assim, ao pesquisar a respeito do Michael Jackson, logo cheguei no Prince. No começo, relutei em gostar, mas depois fui me interessando demais pela coisa e aqui estamos.

Para ser sincero, eu conheci Prince antes mesmo de ser fã de JoJo. E são coisas que para mim são muito pouco relacionadas. JoJo eu conheci por um lado, Prince por outro. Logo elas se cruzaram, mas não me importava tanto. Agora, para você, fã de JoJo que acha que ele se resume a Soft and Wet e Gold Experience, fique sabendo: Soft and Wet é uma música que ninguém lá ligou muito, só davam bola porque foi o primeiro singo lançado. Gold Experience, por sua vez, é uma merda. Nem metade do álbum se salva – Pussy Control, Endorphinmachine e Billy Jack Bitch, só -, incluindo Gold, que é uma bosta.

Eu poderia ficar aqui falando e falando de tudo que o Prince fez, mostrando que o cara é foda, mas tenho a maior preguiça. Só acho que é válido lembrar que ele foi o único cara que quebrou a hegemonia absoluta do álbum Thriller, do Michael Jackson, de forma planejada para tal, combando o Purple Rain filme e o disco. Essa desbancada que o Prince deu no MJ foi o pontapé inicial para o Michael Jackson começar a trabalhar no Bad.

E não vou disfarçar. Os últimos trabalhos deles são muito fracos – não chegam a ser ruins como um todo. Isso acontece porque ele pegava várias músicas do arquivo dele, trabalhava rápido e as lançava para arrecadar uns trocados. No entanto, quando ele queria fazer uns negócios fodidos, era num estalar de dedos. Sign’ O The Times é provavelmente um dos melhores álbuns da história. Like a Prayer, da Madonna, que é, aliás, a melhor música da velha? Ele que compôs para ela quando eles se comiam. E ele também conseguia se reinventar. Nem sempre com sucesso, às vezes dava umas cacas, mas quando isso acontecia, ele se reinventava até dar certo. E se reinventava visualmente também. Engraçado que o último era um cabelo afro, justamente igual à quando ele começou a carreira, é o ciclo que se fecha.

Só tenho interesse em saber o que vai acontecer agora com o acervo. Lá com certeza deve ter material para uns gazilhões de anos de lançamentos. O cara era prolífico demais. O passatempo dele era compor. E ele o fazia na mesma velocidade que um tiozão sessentão termina um livrinho de palavras-cruzadas da Coquetel.

Eu sempre me fascinei também com a filhadaputice dele como indivíduo. Como quando ele discursa contra a internet – que foi interpretado de forma exagerada, na verdade era contra os novos sistemas de distribuição de música que acabariam com a indústria fonográfica, e acabou acertando. Eu me sempre me fascinei com quando ele foi um cuzão a ponto de jogar a guitarra para a plateia, um cara pegar e depois aparecer um segurança desses armários para pegar a guitarra de volta. Eu me sempre fascinei com a mania dele de só namorar com mulheres com a metade da idade dele e o dobro da altura, geralmente sem talento algum e ainda fica as promovendo como se tivessem, de forma estúpida. Eu fico fascinado como ele foi filho da puta até o fim. Não era para você morrer, seu filho da puta.

Veja Também: [Análise: Purple Rain]

 

Edit: Saiu no TMZ que ele deve ter morrido de overdose de analgésico. Faz mais sentido mesmo, ainda mais se a história de que ele tinha se recusado a fazer uma cirurgia de reposição de quadril por ser testemunha de jeová e não poder fazer transplante de snague for verdadeira.

Anúncios

5 respostas para “Goodnight, Sweet Prince

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: